Estudo no Livro de Jó – Parte 15


Os amigos atacam. Jó se defende.

(01) Os ataques de Elifaz:

  • Ele diz a Jó: “A tua própria boca de condena e não eu” (Jó 15.6);
  • “Todos os dias o ímpio sofre tormentos, no curto número de anos que se reservam para o opressor” (Jó 15.20);

(02) Os ataques de Bildade:

  • São suas palavras a Jó: “A luz dos ímpios se apaga; a faísca do seu lar não resplandece; a luz se escurece nas suas tendas e a sua lâmpada ao lado dele se apaga” Jó 18.5 e 6;
  • “(O ímpio) é arrancado de sua tenda e é levado ao rei dos terrores” (Jó 18.14);

(03) Os ataques de Zofar:

  • Suas palavras a Jó: “O júbilo dos ímpios é breve e a alegria dos ímpios dura apenas um momento. Ainda que o seu orgulho suba até o céu, e a sua cabeça chegue até as nuvens, como o seu próprio ESTERCO apodrecerá para sempre” (Jó 20.5 a 7);

(04) Mas, JÓ continua aguardando a sua Redenção:

  • “Quem me dera fossem as minhas palavras escritas, que fosse gravadas num livro…” “Eu sei que o meu Redentor vive , e que por fim se levantará sobre a terra… E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a DEUS” (Jó 19. 23-27);
  • “Ah, se eu soubesse onde encontrá-lo! Então me chegaria ao Seu tribunal, exporia ante Ele a minha causa, e encheria a minha boca de argumentos” (Jó 23. 3-4);

(05) A Certeza que Jó tinha:

  • Jó tinha a certeza de possuir um Salvador. Ele tinha um amigo, o seu Redentor. Jó sabia que não estava sozinho, entregue à própria sorte. Ele tinha um relacionamento com o Criador. Jó o sentia distante, mas sabia que podia contar com o Seu auxílio.
  • Jó tinha a certeza de possuir um Salvador VIVO. Seu Redentor não estava morto, mesmo guardando silêncio. Podemos ver nesta passagem Jesus, o Redentor da humanidade. Podemos ver na fala de Jó uma referência a Jesus, o nosso Salvador, morte, ressurreição e sua volta?

Anúncios
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: