Jesus desceu ao inferno? (Parte 03)

Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a DEUS; morto sim, na carne, mas vivificado pelo Espírito,  no qual também foi e pregou (proclamou)  aos espíritos em prisão (1ª Pedro 3.18,19)

O ensino de que Jesus desceu ao inferno usa este texto isolado para criar a doutrina da descida aos Infernos. Vamos examinar estes versos.

O verso 18 fala da morte de Jesus pelos pecados dos injustos, para que pudéssemos ser conduzidos a DEUS.  Diz que Ele morreu, sim, mas não permaneceu morto: foi vivificado pelo Espírito.

O que significa o termo “vivificado”? Vem do verbo “vivificar”. O dicionário Aurélio ensina que “vivificar” é o mesmo que:

  • Dar vida ou existência a
  • Reviver, reanimar
  • Dar movimento, dar atividade
  • Tornar vívido, animar

Assim, entendemos que, através da proclamação de Sua ressurreição, Cristo proclama a Sua vitória sobre a morte e sobre as Potestades demoníacas. E essa proclamação se faz DEPOIS da Sua ressurreição.

O texto de Romanos 8.11 nos informa que é o Espírito Santo de DEUS que ressuscitou ao Senhor Jesus e que também vai nos ressuscitar quando da Segunda Vinda de Jesus:

E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, Aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo também vivificará o vosso  corpo mortal, pelo Seu Espírito que em vós habita

Não há nenhuma dúvida, portanto, que foi o JESUS RESSUSCITADO que fez a proclamação de sua vitória aos espíritos em prisão. E quem são esses espíritos em prisão e que prisão é essa?

Esses espíritos em prisão, isto é, espíritos de demônios, também estavam por trás da corrupção da palavra pregada por Noé nos tempos anteriores ao dilúvio. E esses demônios estão em prisão, nas trevas eternas.

  • 2ª Pedro 2.4 – “DEUS não poupou os anjos que pecaram, mas lançou-nos no mundo de trevas, acorrentados até o dia do juizo”
  • Judas 6 – “O mesmo aconteceu com os anjos que não permaneceram dentro dos limites de autoridade que DEUS lhes deu, mas deixaram o lugar onde pertenciam. DEUS os guarda na escuridão perpetuamente, para o grande dia do seu julgamento”

Esses espíritos em prisão não são espíritos de pessoas que morreram e agora se acham em sofrimento e dores no Gehena. São, na verdade, espíritos de demônios que se encontram aprisionados nas trevas.

Assim, a proclamação do Senhor Jesus se faz após a Sua ressurreição aos espíritos de demônios conforme nos diz o texto de 1ª Pedro 3.22: “…tendo subido ao céu, reina à direita de DEUS, sendo a Ele sujeitos os anjos, as autoridades e os poderes”.

Nada é dito de uma resposta dos ouvintes. Assim esta passagem não deve ser interpretada como uma Segunda Chance para a salvação daqueles que recusam a Verdade nesta vida.

Anúncios
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: