Doenças produzidas por nós mesmos (Salmo 38)

Vivemos em um mundo descaído, no qual convivem os seres humanos e micro-organismos, amebas, bactérias, vírus. Esses seres vivem em luta constante por sua sobrevivência. Assim, até respirar já significa a possibilidade de contrair alguma enfermidade.

E, por causa disso, sejamos ou não pessoas espirituais ou espiritualizadas, cheias do Espirito Santo de DEUS,  podemos contrair doenças como qualquer ser humano.

Mas, existe outro tipo de enfermidade, aquela que é criada por nos mesmos, doenças que a ciência moderna chama de psicossomáticas.  São resultantes de desajustes pessoais, traumas, quebras psicológicas, marcas na nossa mente, amarguras guardadas, pecados não confessados, sentimentos de culpa que nos assaltam.

O Salmo 38 vai nos alertar sobre essas doenças que nos mesmos produzimos. Em primeiro lugar, os versos 1 e 2 nos dizem que o rei Davi, autor do Salmo, estava com a mente ocupada por um profundo sentimento de culpa.

Ele se sente repreendido por DEUS: “Não me repreendas, Senhor”. Ele se sente castigado, abatido, acoitado. Davi está se vendo como alguém “cravado por Tuas flechas”. Ele também diz: “A Tua mão recai sobre mim”.

Mais a frente, no verso 6, o autor se descreve como vivendo uma profunda tristeza. “Sinto-me encurvado e muito abatido, passo de luto o dia todo”.

Diz o verso 8 que ele estava  sofrendo angustia e inquietação. Sentia-se aflito e sem sossego. No verso 10, vemos que a mente de Davi estava passando por estresse profundo:

Bate-me excitado o coração. Faltam-me as forcas, e a luz dos meus olhos já não está comigo

As causas desse sofrimento são bem claras:

  • Verso 4 – pecados não perdoados;
  • Verso 9 – ansiedades do coração;
  • Verso 11 – solidão e abandono;

Como curar-se? Onde está a cura para essa enfermidade da alma?

Em primeiro lugar, confessar o pecado oculto. O verso 18 diz:

  • “Confesso a minha iniquidade, suporto tristeza por causa do meu pecado”

Em seguida é crer na intervenção do nosso DEUS:

  • “Em Ti, Senhor, espero” – verso 15
  • “Não me desampares, Senhor, DEUS meu, Salvação minha. Apressa-te em socorrer-me” – versos 21 e 22

Assim deve ser com cada um de nos: Olhar para cima. Falar com nosso DEUS. Derramar-se diante do Soberano Senhor. Que esta Palavra se converta em medicina para você…

Amém?

Anúncios

4 Comentários

  1. luis roberto da silva

     /  31 janeiro, 2011

    tenho lido seu blog e como admirador da arte de pregar peço à Deus para continuar te abençoando a cuidar das ovelhas que Ele mesmo te deu para cuidar abços

    Curtir

    • Pr. Ezequias Costa

       /  12 abril, 2011

      Prezado Luiz, obrigado por suas palavras. Por onde tem andado? Apareça em um de nossos cultos. Abração.

      Curtir

  2. luis roberto da silva

     /  31 janeiro, 2011

    parabens

    Curtir

    • Pr. Ezequias Costa

       /  28 março, 2011

      Luis, amado no Senhor, obrigado. Toda glória ao nosso DEUS!
      Abraço.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: