RELATÓRIO – VIAGEM A CUBA – Parte 5


“A HORA DE ROMPER”

“Respondeu-lhe Jesus: Bem disseste ‘Não tenho marido’; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido…” – João 4. 17 e 18

Cuba é um país singular. Dominado há mais de 50 anos por um grupo de homens, guerrilheiros, combatentes contra o regime anterior, tem visto nestes últimos anos o surgimento de um grupo de mulheres que exigem, entre outras coisas, maior liberdade em várias áreas. Elas são chamadas de AS DAMAS DE BRANCO.

Durante nossa estada em Guantánamo, pudemos participar de um Encontro de Mulheres, realizado na Primeira Igreja Batista de Guantánamo que reuniu mais de 300 mulheres numa sexta-feira à noite e no sábado pela manhã. Elas vieram de muitas igrejas da Província (ou estado como nós chamamos) de Guantanamo e Santiago de Cuba

Dormiram nas dependências do Tempo da Primeira igreja. Jantaram juntas na sexta-feira, tomaram o café da manhã no sábado, também juntas, e ao término do Encontro almoçaram juntas. Mulheres dispostas…

A Maria Isabel, minha esposa, abriu o Encontro com a mensagem “É HORA DE ROMPER”, com base no Evangelho de João 4, falando sobre a mulher de Samaria. Aqui vão alguns itens desenvolvidos pela Isabel.

Um grande rompimento pode nos trazer dor, mas pode nos levar a grandes progressos. Isabel perguntou: “Com o que temos de romper? Com o medo, o pecado, a verdade sobre nós, nossos erros?”

No encontro com a mulher de Samaria, o Senhor Jesus provoca a conversa. O Senhor a leva ao diálogo. Logo ficamos sabendo das crises pelas quais aquela mulher passa: ser mulher, religiosidade, não ter marido, pertencer a uma raça considerada inferior, adoração em lugar restrito…

Em seguida, o Senhor Jesus passa para a sede existencial: a mulher buscava um homem para saciar a sua sede de afeto. Aparentemente, cheia de experiências vividas, mas vazias no fundo. Isto a neurotizou… e fechava o seu caminho para uma relação satisfatória. Suas constantes trocas de companheiro eram um desvio de sua personalidade. A mulher de Samaria era obsessiva-compulsiva.

Sua grande sede de afeto a leva ao Senhor Jesus e ELE a leva para sair do plano existencial para a cura. ELE É A CURA. O Senhor Jesus a chama para a cura. O processo de matar a sede da alma precisa de devoção diária com o SEnhor Jesus.

Aqui no Brasil como em Cuba todos precisamos de um relacionamento íntimo com o SEnhor Jesus. ELE é a nossa cura, cura para nossas neuroses, cura para nossos medos e angústias, o fim de nossa procura por afeto.

A mensagem ficou. Mas aquelas mais de 300 mulheres precisam de nossa ajuda em oração, principalmente no momento em que vive aquele país. Quer ajudar? pergunte-me como. Envie email para pr.ezequias@terra.com.br
DEUS certamente o abençoará.

Anúncios
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: