PÁSCOA, A DATA MAIS IMPORTANTE DO CRISTIANISMO

PÁSCOA – A DATA MAIS IMPORTANTE DO CRISTIANISMO

(Paulo Henrique Oliveira Costa, 2015)

Fato curioso como as duas grandes datas comemorativas do cristianismo, Natal e Páscoa, vêm sofrendo com o mesmo desvirtuamento, ao longo dos anos, por influência de um forte apelo econômico. Enquanto o marketing publicitário ligado a estas festividades nos seduzia a consumir seus novos produtos (presentes, almoços, jantares, luzes piscantes, pães doces e ovos de chocolate), também contribuiu para implantar no inconsciente coletivo figuras e símbolos que de maneira alguma se justificam dentro do contexto cristão (a árvore de natal, o bom velhinho e o coelho). Mesmo sob o pretexto de chamar a atenção das crianças para a importância destas comemorações.

Em relação ao Natal, observo que as pessoas, em sua maioria:
• Conhecem bem o fato histórico gerador (nascimento de Cristo);
• Consomem os seus produtos com facilidade;
• Substituem os personagens originais por figuras próprias;
• Desconhecem a mensagem com profundidade;
Em relação à Pascoa, porém, observo o seguinte:
• Desconhecem totalmente o fato histórico gerador (passagem do anjo exterminador pelo Egito);
• Consomem os seus produtos com facilidade;
• Substituem os personagens originais por figuras próprias;
• Deturpam a mensagem com superstições e misticismos (frases mais comuns: “É época de renascimentos”; “Fecha-se um ciclo da vida e abre-se outro”; “A vida esta te dando uma nova oportunidade de recomeço”; “Aproveite mais esta chance de renovação em seus negócios e relacionamentos”).

Portanto, a Igreja contemporânea tem em suas mãos uma excelente oportunidade de usar a ocasião para redimir o verdadeiro sentido da Páscoa:
• A Páscoa nos lembra da escravidão do pecado;
• A Páscoa sempre aponta para o Pentecostes e descida do Espírito Santo;
• A Páscoa é também conhecida como a Festa da Liberdade (Chag Hacheirut).
• E, principalmente, porque o nosso Cordeiro pascal, que um dia foi morto, permanece vivo para sempre!

“Joguem fora o velho fermento do pecado para ficarem completamente puros. Aí vocês serão como massa nova e sem fermento, como vocês, de fato, já são. Porque a nossa Festa da Páscoa está pronta, agora que Cristo, o nosso Cordeiro da Páscoa, já foi oferecido em sacrifício. Então vamos comemorar a nossa Páscoa, não com o pão que leva fermento, o fermento velho do pecado e da imoralidade, mas com o pão sem fermento, o pão da pureza e da verdade.” (1 Coríntios 5:7-8 NTLH)

Anúncios
Post seguinte
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: