TRISTEZA PROFUNDA

TRISTEZA PROFUNDA

Autor Ezequias Costa

“A minha alma está cheia de tristeza até a morte; fiquem aqui e vigiem comigo”. – Mateus 26.38

Estas palavras foram ditas pelo Senhor Jesus no Jardim do Getsêmani, na noite anterior à Sua crucificação. Naquele momento, o Senhor estava triste com a Sua iminente prisão e sofrimento. Ele queria a companhia de um amigo para orar com Ele, e confortá-lo.

Somos humanos. Precisamos aprender a vivenciar nossas emoções. Se não chorarmos, não colocarmos para fora tudo o que estamos sentindo, vamos ficar amargurados e podemos criar problemas para nós mesmos. Podemos desenvolver uma gastrite, ou um problema neurológico, ou uma úlcera ou até um tumor cancerígeno.

Se você está triste e depressivo, chore, lamente-se, ponha para fora suas emoções negativas. Se foi alguma perda importante que você sofreu, como a morte de alguém da família ou pessoa importante de suas relações, extravase, fale com alguém sobre o que sente ou quer, para que possa equilibrar todas as suas emoções.

Mas não permaneça o tempo todo em lamentações. Saiba dar um ponto final no seu luto. Não passe o resto da sua vida chorando ou lamentando por um fracasso que ocorreu lá atrás. Não fique preso ao que passou; levante-se e pergunte ao Senhor: “E agora, Senhor, o que eu faço”?

Talvez já tenha passado o tempo de você ficar chorando, murmurando ou se lamentando pelo que ocorreu em sua vida. Com certeza é chegado o momento de buscar a Palavra de DEUS para sua direção, porque a vida segue e é certo que DEUS tem reservado para você grandes desafios e grandes vitórias.

A Bíblia nos conta a história de um homem chamado Neemias. Ele se encontrava muito distante de sua terra-natal, em outro país. Quando ele soube que a cidade onde se achava o túmulo de seus pais havia sido totalmente destruída, ele ficou profundamente triste, e chorou muito. Mas, depois de extravasar suas emoções, Neemias tomou a atitude certa: orou a DEUS, jejuou e partiu para a ação. Partir para ação é a atitude de quem tem fé e almeja mudanças. (Neemias 1:1-4)

Como filhos de DEUS, eu e você devemos perguntar ao Senhor o que fazer, como e quando agir. Ele tem todas as respostas para a nossa vida e Ele deseja nos dar orientações a fim de que sejamos bem-sucedidos em todas as áreas.

Pr. Ezequias Costa

Emai: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

Anúncios

A PRESENÇA DO MAL

A PRESENÇA DO MAL 

Autor: Ezequias Costa

“ Depois de atravessarem toda a ilha de Chipre, chegaram à cidade de Pafos. Ali encontraram um judeu chamado Bar-Jesus, que praticava feitiçaria e era falso profeta. Ele assessorava o pro cônsul Sérgio Paulo, homem de grande inteligência. O pro cônsul mandou chamar Barnabé e Saulo, pois desejava conhecer a Palavra de DEUS. No entanto, Elimas, o mago, – que assim se traduz o nome dele, opunha-se a eles, tentando desviar o pro cônsul da fè”. – Atos 13.6-8.

Esse judeu feiticeiro era provavelmente um astrólogo. Os astrólogos ensinam que o destino e a vida de cada pessoa são determinados pela posição dos astros em relação à data de nascimento de cada pessoa.

Até que ponto chega a cegueira das pessoas. Sabe-se, hoje, que os planetas em nosso sistema solar são constituídos de rochas inertes e sem vida. Até crentes em nossas igrejas querem saber nosso signo, qual o planeta ou satélite que deve reger nossas vidas…

Toda feitiçaria e astrologia são formas de espiritismo que se opõem ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, porque são obras do Inimigo de nossas almas.

Veja neste relato como esse judeu, que certamente conhecia os ensinamentos da Lei de Moisés, procura afastar da Palavra de DEUS alguém sedento por ouvir a mensagem de libertação.

Eis o que consta nos ensinos de Moisés, em um dos livros escritos pelo fundador da nação dos israelitas. “Não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações da terra que passas a possuir. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem quem consulte um espírito adivinhante, nem quem consulte os mortos”. – Deuteronômio 18. 10 e 11.

Esses versículos relatam as práticas de nações que viviam na terra de Canaã antes da chegada da nação de Israel à Terra Prometida. Práticas abomináveis diante dos olhos de DEUS, mas que subsistem até os dias de hoje, mais de 4.000 anos passados…

É a Presença do Mal, que ontem como hoje quer afastar as pessoas da mensagem do Evangelho. Cabe a nós como pais, avós, pastores, líderes das igrejas de Jesus Cristo, nos mantermos sempre vigilantes CONTRA AS ASTUTAS CILADAS DO MALIGNO, nos mantendo fiéis ao ensino da Palavra de DEUS.

No enfrentamento da oposição ao Evangelho é preciso estar cheio do Espírito Santo, como podemos ver no relato deste episódio. Só assim a Obra do Evangelho prosperará. (“Todavia, Saulo, que traduzido é Paulo, cheio do Espírito Santo, olhando firmemente para Elimas o repreendeu dizendo: “Tu estás cheio de toda mentira e malignidade, filho do Diabo, inimigo de tudo o que justo. Quando cessarás de perverter os retos caminhos do SENHOR”? – Atos 13. 9 e 10)

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

RESSENTIMENTO

RESSENTIMENTO

Autor: Ezequias Costa

“Peço-te, pois, SENHOR, tira a minha vida, porque melhor para mim é morrer do que viver. E disse o SENHOR a Jonas: É razoável esse teu ressentimento?” – Jonas 4.4

O ressentimento é como uma droga para as emoções. Ela aumenta a pulsação em nosso corpo. Porém, como qualquer entorpecente, ela necessita de doses sempre maiores e com mais frequência.

Existe um momento de grande risco, no qual esse ressentimento deixa de ser uma emoção e se transforma num verdadeiro motor. Quem faz planos para a vingança acabe se distanciando, mais e mais e sem intenção, da capacidade de perdoar.

Para esse tipo de pessoa estar sem raiva é como estar sem combustível no seu carro. O ódio é um cachorro em fúria que ataca o próprio dono. A vingança é um fogo que só aumenta e acaba incendiando o próprio incendiário. A amargura é a armadilha que apanha o caçador.

Foi exatamente isso que aconteceu com o profeta Jonas do Antigo Testamento. Ele recebe a ordem de pregar o arrependimento para a antiga cidade de Nínive. Inicialmente, foge para bem longe do alvo pretendido, mas é trazido de volta de forma sobrenatural através de um grande peixe preparado pelo SENHOR.

Depois da experiência nada agradável de usar o estômago do peixe como um retiro espiritual, Jonas vai anunciar a mensagem de arrependimento naquela cidade.

E, para seu espanto, a mensagem que ele leva é recebida pelo povo de Nínive com um movimento de arrependimento e renovação espiritual. O povo e seus líderes decidem abandonar seus maus caminhos e se voltar para o SENHOR.

Por ter o povo se arrependido, DEUS suprime o juízo. Jonas, porém, irritou-se tremendamente porque o SENHOR resolvera perdoar os habitantes daquela cidade. Ele não queria que DEUS poupasse esses inimigos do seus país.

Jonas ficou extremamente desgostoso com isso e ficou todo ressentido e pede a morte. O ressentimento foi tão grande que Jonas não consegue enxergar mais nada. Só a morte. Já que seus inimigos são poupados por DEUS, ele pede a morte para si.

É bom repetir aqui uma frase muito antiga. SÓ O AMOR CONSTRÓI. Você consegue entender, agora, porque há tantos casos de feminicídio em nosso país? Tudo começa com um pequeno ressentimento, que vai crescendo até chegar ao assassinato. É um fogo que consome. E destrói…

Olhe bem para dentro de si mesmo. Você tem facilidade para perdoar? Esposos e esposas? Pais e filhos? Irmãos? Familiares? Vizinhos? Colegas de trabalho? Apagar esse fogo destruidor??

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

%d blogueiros gostam disto: