COMO DIZ A ESCRITURA

COMO DIZ A ESCRITURA.

Autor: Ezequias Costa

“Quem crê em mim, COMO DIZ A ESCRITURA, rios de água viva fluirão do seu interior”. João 7.38

O Senhor Jesus citava as Escrituras para confirmar o que ELE dizia.  Fazia isso porque a Sagrada Escritura é a própria Palavra de DEUS, Seu Pai e, portanto, a autoridade suprema sobre Sua vida.

As Escrituras devem ser também a única autoridade sobre nossas vidas, como cristãos. Somente DEUS tem o direito de determinar a regra de fé do ser humano e de seus padrões de comportamento. E essa autoridade DEUS exerceu ao revelar ao ser humano SUA verdade num livro chamado Bíblia…

A Bíblia, por ser a Palavra e a Mensagem do próprio DEUS, tem a mesma autoridade que tem o próprio DEUS se fosse nos falar diretamente. Assim, a Escritura divinamente inspirada é a autoridade FINAL do crente.

Por conseqüência, idéias humanas, tradições eclesiásticas ou humanas, profecias na igreja, supostas novas revelações ou doutrinas, tudo deve ser testado pelo único padrão: As Sagradas Escrituras. Todas essas coisas jamais terão autoridade em si ou acima das Escrituras ou coexistindo com elas.

Quando professamos lealdade igual ou superior a qualquer autoridade além de DEUS, como nos revelou o Senhor Jesus, ou além das Escrituras inspiradas, é afastar-se da fé cristã e do Senhorio do Senhor Jesus.

Também afirmar que qualquer pessoa, instituição, credo ou igreja possui autoridade religiosa igual à Revelação inspirada de DEUS, ou até maior que essa Revelação, é igual a idolatria.

Se alguém não submete suas crenças e sua doutrina à autoridade da Revelação apostólica do Novo Testamento, está fora do cristianismo bíblico e da salvação do Senhor Jesus Cristo.

Você entende assim também?

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

AINDA SOBRE ÁRVORES DE NATAL

TAMMUZ, O DEUS QUE MORRE E RESSUSCITA

Autor: Ezequias Costa

“Então ele me levou para a entrada da porta norte da Casa do Senhor. Lá eu vi mulheres sentadas, chorando por Tammuz. Ele me disse: “Você vê isso, filho do homem? Você verá práticas ainda mais repugnantes do que esta”. Ezequiel 8.14 e 15.

Tammuz, o deus babilônio, que  havia casado com sua própria mãe, Semíramis ou Ishtar. O que o profeta Ezequiel nos mostra nesta passagem é que o culto dessa entidade espiritual era praticado dentro da Casa do Senhor.

Acreditava-se que Tammuz, que morria no Inverno e renascia na Primavera, era adorado para que a fertilidade da terra voltasse, pois esse ídolo era conhecido como o deus da vegetação. É bom lembrar que a árvore símbolo de Tammuz era o pinheiro, aquele mesmo que é símbolo do Natal….

O profeta Ezequiel nos informa que as mulheres estavam chorando por essa entidade a fim de restabelecer a fertilidade da terra quando ele então retornaria à vida.

Diz-nos mais o profeta Ezequiel: que dentro  do templo, a Casa do Senhor, “entre o pórtico e o altar, havia vinte e cinco homens que estavam se prostrando em direção ao sol e levando aos seus narizes um ramo” Ezequiel 8.16 e 17.

O ramo refere-se à adoração de Tammuz, pois o ramo de certa árvore era um símbolo da imortalidade associado com o culto a esse deus babilônio. Aproximavam o ramo de seus narizes como uma tentativa de inalar as supostas forças que dão vida e que vêm de um Tammuz ressuscitado!!!

Conta-nos o Pastor Abraão de Almeida em seu livro “Babilônia, ontem e hoje”:

“Tammuz teria sido morto por um javali, então se observavam quarenta dias de jejum e pranto, até à festa de Ishtar. (atenção Easter, é a palavra da língua inglesa para páscoa: note-se a semelhança dos sons das duas palavras = Ishtar e Easter)

Tammuz então volta à vida e esta “ressureição” passa a ser comemorada com frangos, ovos e coelhos. Em homenagem à Rainha do Céu faziam-se bolos com um “T” de Tammuz.” (pg.36)

Os cultos pagãos estão ligados às estações do ano e as estações do ano estão ligadas ao ciclo de florescimento da vegetação. Surge, assim, a adoração a plantas, particularmente, árvores. Para dar sentido a essa adoração, os pagãos associaram os seus deuses às respectivas árvores.

A árvore de natal é um símbolo de consagração e de adoração a deuses dos pagãos, dos babilônios. Com a árvore de Natal dentro de nossas casas estamos ressuscitando um trono babilônico, dando legalidade para demônios agirem: Leia com atenção Jeremias 10.1-4

‘ Povo de Israel, escute a mensagem do DEUS Eterno para vocês. Ele diz: ‘não sigam os costumes de outras nações. Elas podem ficar espantadas quando aparecem coisas estranhas no céu, mas vocês não devem se assustar. A religião dessa gente não vale nada. Cortam uma árvore na floresta e um artista, com as suas ferramentas, faz um ídolo. Em tão o enfeitam com prata e outro e o firmam com pregos para que não caia aos pedaços.’

Os seguintes textos trazem mais luz sobre o assunto: 1 Reis 14.22-23: ‘o povo de Judá pecou contra o Senhor e deu mais motivos para Ele ficar irado do que todos os antepassados haviam dado. Eles construíram altares nos montes para a adoração de falsos deuses e, no alto de montes e debaixo de árvores que dão sombra, levantaram colunas de pedras e postes-ídolos para adorar.’

2 Reis 17.9-10 : ‘os israelitas fizeram coisas que o Senhor, teu DEUS, não aprova. Eles construíram lugares pagãos de adoração em todas as suas cidades, desde o menor povoado até a maior cidade. Em todos os montes e debaixo de todas as árvores que dão sombra, eles levantaram colunas de pedras e poste-ídolos.’

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

QUEREMOS VER A JESUS.

‘QUEREMOS VER A JESUS’

Autor: Ezequias Costa

“Entre os que tinham ido adorar a DEUS, na festa da Páscoa, estavam alguns gregos.  Eles se aproximaram de Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, com um pedido: ‘Senhor, queremos ver a JESUS.’ Filipe foi dizê-lo a André, e os dois juntos foram dizer a JESUS.  ELE respondeu: ‘Chegou a hora de ser glorificado o Filho do Homem.” João 12.20 a 22.

Vida cristã é Ver a JESUS, ouvir Suas Palavras e colocá-las em prática. Como vemos no texto de João 12, pessoas que vêm de longe não vêm em busca de festas ou cerimônias.  Essa gente QUER VER A JESUS!!

Esses gregos retratados na passagem bíblica não vieram em busca de prosperidade ou riqueza fácil. Eles declararam que queriam ver a JESUS, o centro da fé cristã…

E o que é também interessante é que foram procurar um  dos discípulos do Mestre para que lhes mostrasse JESUS. Como ontem, hoje a pessoas querem ver a JESUS em nossas vidas, em nossas famílias, em nossos negócios…

E os cultos em nossas igrejas tem mostrado JESUS? Ou são reuniões cansativas, longas, que tem de tudo para agradar o público, mas que não mostram JESUS às pessoas… Tem até distribuição de itens que teoricamente representam JESUS, mas não mostram JESUS….

E quando estamos longe de tudo e de todos, quem somos? A nossa vida, nossos negócios, as nossas palavras e atitudes tem mostrado JESUS a quem está perto de nós? E as nossas amizades e relacionamentos, como são?

O Senhor JESUS, ao saber da procura pelos gregos exclama:  “Chegou a hora de ser glorificado o Filho do Homem”.

O missionário inglês Davi Livingstone gastou sua vida trabalhando entre povos africanos durante muitos anos até morrer e ter o seu coração enterrado em solo africano, como havia pedido em vida.

Muitos anos depois de sua morte, um outro missionário começa seu trabalho entre aqueles africanos. E começa falando de JESUS, Seu amor pelas pessoas demonstrado em suas atitudes e palavras.

Imediatamente é interrompido pelo chefe da aldeia e pessoas que o ouviam, os quais declararam que esse JESUS de que falava o missionário, já estivera entre eles, dera sua vida por eles… Mas seu nome era outro. Era Davi Livingstone…

Espero que você possa sentir o peso da responsabilidade de mostrar JESUS aos outros. Aqueles gregos quiseram ver a JESUS, os discípulos lhes mostraram JESUS e ELE foi glorificado… E nós, estamos fazendo o mesmo? Escreva-me respondendo.

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

A FALTA .DE ESPERANÇA É UMA TRAGÉDIA

A FALTA DE ESPERANÇA É UMA TRAGÉDIA

Autor: Ezequias Costa

“Havia uma inscrição acima de JESUS que dizia: ESTE É O REI DOS JUDEUS”. Um dos criminosos que ali estavam dependurados lançava-lhe insultos: ‘Você não é o Cristo? Salva-se a si mesmo e a nós’. Mas o outro criminoso dizia: ‘JESUS, lembra-te de mim quando entrares no teu reino’.”  – Lucas 23.38-42

Por que há na Bíblia tantas passagens nas quais JESUS aparece junto a pessoas sofrendo?

  • Uma viúva que perde seu filho único;
  • Jairo que perde sua filha de 12 anos;
  • Duas irmãs, Marta e Maria, que perdem seu irmão caçula;
  • Um homem cheio de demônios que vive num cemitério, querendo acabar com sua própria vida;
  • Uma mulher que teve 5 maridos e busca agora em outra relação preencher o seu vazio;
  • Um cego que vive de esmolas e que nunca viu a luz do sol.

Essas passagens, e muitas outras, estão registradas na Bíblia para dizer o que o Senhor JESUS faz. O que ELE pode e quer fazer por cada um de nós. Pois, a maior tragédia do ser humano é não ter esperança, não enxergar o que está à frente.

Estamos como numa viagem de navio, enjoados de tudo o que vivemos. Da corrupção, das tragédias do dia-a-dia, da violência em nossas cidades, da falta de perspectiva de nossos jovens…

Mas, nós podemos olhar para o amanhã com esperança. No nosso viver deve arder a chama da esperança. Esperança é esperar, é um sentimento de confiança no amanhã.

Esperança é um sentimento de expectativa, que vem antes da fé. É dizer: vai dar certo. O ser humano que não tem esperança tem o trabalho como escravidão, tem seus relacionamentos com angústia, tem sua vida como um suplício….

Este ladrão na cruz traz os valores da Esperança. Não sabemos seu nome. Sabemos que foi condenado à cruz pelos Estado romano por suas atividades como terrorista. Vai morrer justamente na hora, no dia e no lugar em que JESUS está.

Foi realista, mas não destruído pela realidade. É impressionante ver como ele se enxerga: merecedor de seu sofrimento. Viu, também, que aquela situação dramática era a oportunidade de viver uma outra realidade.

Ele não lamentou, não murmurou. Ele olha para o futuro e consegue ver além do momento presente. Este homem pôde ver mais do que estava na superfície. Podemos concluir que ele é um otimista…

Ele vê o JESUS glorificado. Não o JESUS que está ali na cruz cheio de sangue, com cuspe no rosto, com a coroa de espinhos na cabeça, sendo ridicularizado pelos soldados e pela multidão que assiste aquele espetáculo.

Ele vê o JESUS vitorioso. Ele vê que JESUS tem um reino quando diz: “Lembra-te de mim quando vieres no Teu reino… Me faz lembrar o Salmo de Davi, o Salmo 27, especialmente os versos 13 e 14: “Apesar disso, esta certeza eu tenho: viverei até ver a bondade do Senhor na terra. Espere no Senhor. Seja forte. Coragem. Espere no Senhor”.

pr. Ezequias Costa

email: pr.ezequias@terra.com.br

site: http://pastorezequias.com

ÁRVORE DE NATAL??

Autor: Ezequias Costa

O culto babilônico estava associado às estações do ano, que deram origem ao culto solar. Por sua vez, as estações do ano estão também ligadas ao ciclo de florescimento da vegetação.

Surgiu assim a adoração a plantas, particularmente a árvores. E para dar sentido a essa adoração, os deuses babilônicos foram associados às suas respectivas árvores.

O pinheiro, conhecido como a árvore de Natal, é uma fábula de chamada de adoração a um deus babilônio: Tammuz.

Com a árvore de Natal dentro de nossa casa estamos ressuscitando um trono a um deus babilônio, dando autorização para os demônios agirem.

E quantas vezes cantamos, até mesmo de nossos púlpitos, esta canção, sem saber o que estávamos dizendo:“Pinheirinhos, que alegria,
Sinos tocam noite e dia
É natal que vem chegando
Vamos pois cantarolando…”

Vale aqui acrescentar o texto do profeta Jeremias 10.1-4: “Povo de Israel, escute a mensagem do seu DEUS. Ele diz: não sigam os costumes de outras nações. Elas ficam espantadas quando aparecem coisas estranhas no céu, mas vocês não devem se assustar. A religião dessa gente não vale nada. Cortam uma árvore na floresta, e um artista com as suas ferramentas faz um ídolo. Então o enfeitam com prata e ouro e o firmam com pregos…”

Os profetas sempre se levantaram contra os cultos prestados às divindades que foram introduzidas por reis e rainhas pagãos. Veja, por exemplo, 1 Reis 14.22-23 e 2 Reis 17.9-10

Durante os preparativos que Moisés fez para que o povo tomasse posse da terra prometida está bem clara a mensagem para evitar árvores junto ao altar do Senhor: “Não plantarás nenhuma árvore junto ao altar do Senhor, teu Deus, que fizeres para ti”. Deuteronômio 16.21

Acrescentemos mais uma ordem: “Destruireis por completo todos os lugares onde as nações serviram aos seus deuses, sobre as altas montanhas, e debaixo de toda árvore frondosa e os seus bosques queimareis”. Deuteronômio 12.2 e 3

Qualquer pagão ou adepto de feitiçarias e bruxarias sabe porque árvores eram usadas em rituais de magia e paganismo. “Mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende…” Isaias 1.3

pr. Ezequias Costa

email: pr.ezequias@terra.com.br

site: http://pastorezequias.com

ENSINA-ME

ENSINA-ME

Autor: Ezequias Costa

“ A Ti, SENHOR, elevo a minha alma. DEUS meu em Ti confio. Faze-me saber os TEUS caminhos, SENHOR, ensina-me as TUAS veredas”.  – Salmo 25.1,2 e 4.

O que é oração? O autor do Salmo 25 esclarece: Orar é elevar a alma a DEUS, é sair deste mundo físico que nos cerca, mundo tangível, temporal, e adentrar a eternidade. É visitar o Santo dos Santos, o lugar Sagrado da Presença de DEUS. É estar diante do trono do Rei do Universo.

E, diante da presença de DEUS, o autor deste Salmo tem um só pedido: ENSINA-ME. Ele diz que precisa aprender, que precisa conhecer mais do Senhor, que quer saber mais do DEUS dos céus. Ele quer saber o que DEUS tem mais para ele…

O autor do Salmo diz ainda que precisa aprender mais sobre DEUS, que precisa aprender a andar junto com DEUS. Pede, ainda, que o Senhor o ensine a andar nos SEUS caminhos, nas Suas veredas.

Mais adiante, no verso 14, o autor declara a profundidade desse caminhar com DEUS. Ele diz: “A intimidade do Senhor é para aqueles que O temem. A esses o Senhor dará a conhecer a SUA aliança”. Só poderão entrar na intimidade do Senhor aqueles que O temem. Mas o que é temer o Senhor? É ter medo dele? É morrer de medo do seu poder?

Temer o Senhor é reconhecer a SUA Santidade, é saber que estamos diante do Rei do Universo. É levar DEUS a sério. Quando assim agimos começamos a penetrar em SUA Intimidade. Ali ELE vai nos revelar todo o SEU propósito. Todo o SEU Concerto, todos os SEUS Segredos…

É exatamente isso que o apóstolo Paulo ministra aos crentes da Igreja de Corinto. Na primeira carta àquela Igreja, no capítulo 2, nos versos 9 e 10, assim se expressa o apóstolo: “Olho nenhum jamais viu, ouvido nenhum jamais ouviu, nem penetraram no coração humano as coisas que DEUS preparou para aqueles que O amam. Mas ELE nos revelou pelo SEU Espírito…”

Então amadas e amados, não vale a pena penetrar na intimidade do Senhor?? Busque essa intimidade todo dia, toda hora e você terá revelações grandiosas do SENHOR para sua vida, sua família, seus negócios, seu presente e seu futuro.

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

%d blogueiros gostam disto: