TRISTEZA PROFUNDA

TRISTEZA PROFUNDA

Autor Ezequias Costa

“A minha alma está cheia de tristeza até a morte; fiquem aqui e vigiem comigo”. – Mateus 26.38

Estas palavras foram ditas pelo Senhor Jesus no Jardim do Getsêmani, na noite anterior à Sua crucificação. Naquele momento, o Senhor estava triste com a Sua iminente prisão e sofrimento. Ele queria a companhia de um amigo para orar com Ele, e confortá-lo.

Somos humanos. Precisamos aprender a vivenciar nossas emoções. Se não chorarmos, não colocarmos para fora tudo o que estamos sentindo, vamos ficar amargurados e podemos criar problemas para nós mesmos. Podemos desenvolver uma gastrite, ou um problema neurológico, ou uma úlcera ou até um tumor cancerígeno.

Se você está triste e depressivo, chore, lamente-se, ponha para fora suas emoções negativas. Se foi alguma perda importante que você sofreu, como a morte de alguém da família ou pessoa importante de suas relações, extravase, fale com alguém sobre o que sente ou quer, para que possa equilibrar todas as suas emoções.

Mas não permaneça o tempo todo em lamentações. Saiba dar um ponto final no seu luto. Não passe o resto da sua vida chorando ou lamentando por um fracasso que ocorreu lá atrás. Não fique preso ao que passou; levante-se e pergunte ao Senhor: “E agora, Senhor, o que eu faço”?

Talvez já tenha passado o tempo de você ficar chorando, murmurando ou se lamentando pelo que ocorreu em sua vida. Com certeza é chegado o momento de buscar a Palavra de DEUS para sua direção, porque a vida segue e é certo que DEUS tem reservado para você grandes desafios e grandes vitórias.

A Bíblia nos conta a história de um homem chamado Neemias. Ele se encontrava muito distante de sua terra-natal, em outro país. Quando ele soube que a cidade onde se achava o túmulo de seus pais havia sido totalmente destruída, ele ficou profundamente triste, e chorou muito. Mas, depois de extravasar suas emoções, Neemias tomou a atitude certa: orou a DEUS, jejuou e partiu para a ação. Partir para ação é a atitude de quem tem fé e almeja mudanças. (Neemias 1:1-4)

Como filhos de DEUS, eu e você devemos perguntar ao Senhor o que fazer, como e quando agir. Ele tem todas as respostas para a nossa vida e Ele deseja nos dar orientações a fim de que sejamos bem-sucedidos em todas as áreas.

Pr. Ezequias Costa

Emai: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

A PRESENÇA DO MAL

A PRESENÇA DO MAL 

Autor: Ezequias Costa

“ Depois de atravessarem toda a ilha de Chipre, chegaram à cidade de Pafos. Ali encontraram um judeu chamado Bar-Jesus, que praticava feitiçaria e era falso profeta. Ele assessorava o pro cônsul Sérgio Paulo, homem de grande inteligência. O pro cônsul mandou chamar Barnabé e Saulo, pois desejava conhecer a Palavra de DEUS. No entanto, Elimas, o mago, – que assim se traduz o nome dele, opunha-se a eles, tentando desviar o pro cônsul da fè”. – Atos 13.6-8.

Esse judeu feiticeiro era provavelmente um astrólogo. Os astrólogos ensinam que o destino e a vida de cada pessoa são determinados pela posição dos astros em relação à data de nascimento de cada pessoa.

Até que ponto chega a cegueira das pessoas. Sabe-se, hoje, que os planetas em nosso sistema solar são constituídos de rochas inertes e sem vida. Até crentes em nossas igrejas querem saber nosso signo, qual o planeta ou satélite que deve reger nossas vidas…

Toda feitiçaria e astrologia são formas de espiritismo que se opõem ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, porque são obras do Inimigo de nossas almas.

Veja neste relato como esse judeu, que certamente conhecia os ensinamentos da Lei de Moisés, procura afastar da Palavra de DEUS alguém sedento por ouvir a mensagem de libertação.

Eis o que consta nos ensinos de Moisés, em um dos livros escritos pelo fundador da nação dos israelitas. “Não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações da terra que passas a possuir. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem quem consulte um espírito adivinhante, nem quem consulte os mortos”. – Deuteronômio 18. 10 e 11.

Esses versículos relatam as práticas de nações que viviam na terra de Canaã antes da chegada da nação de Israel à Terra Prometida. Práticas abomináveis diante dos olhos de DEUS, mas que subsistem até os dias de hoje, mais de 4.000 anos passados…

É a Presença do Mal, que ontem como hoje quer afastar as pessoas da mensagem do Evangelho. Cabe a nós como pais, avós, pastores, líderes das igrejas de Jesus Cristo, nos mantermos sempre vigilantes CONTRA AS ASTUTAS CILADAS DO MALIGNO, nos mantendo fiéis ao ensino da Palavra de DEUS.

No enfrentamento da oposição ao Evangelho é preciso estar cheio do Espírito Santo, como podemos ver no relato deste episódio. Só assim a Obra do Evangelho prosperará. (“Todavia, Saulo, que traduzido é Paulo, cheio do Espírito Santo, olhando firmemente para Elimas o repreendeu dizendo: “Tu estás cheio de toda mentira e malignidade, filho do Diabo, inimigo de tudo o que justo. Quando cessarás de perverter os retos caminhos do SENHOR”? – Atos 13. 9 e 10)

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

RESSENTIMENTO

RESSENTIMENTO

Autor: Ezequias Costa

“Peço-te, pois, SENHOR, tira a minha vida, porque melhor para mim é morrer do que viver. E disse o SENHOR a Jonas: É razoável esse teu ressentimento?” – Jonas 4.4

O ressentimento é como uma droga para as emoções. Ela aumenta a pulsação em nosso corpo. Porém, como qualquer entorpecente, ela necessita de doses sempre maiores e com mais frequência.

Existe um momento de grande risco, no qual esse ressentimento deixa de ser uma emoção e se transforma num verdadeiro motor. Quem faz planos para a vingança acabe se distanciando, mais e mais e sem intenção, da capacidade de perdoar.

Para esse tipo de pessoa estar sem raiva é como estar sem combustível no seu carro. O ódio é um cachorro em fúria que ataca o próprio dono. A vingança é um fogo que só aumenta e acaba incendiando o próprio incendiário. A amargura é a armadilha que apanha o caçador.

Foi exatamente isso que aconteceu com o profeta Jonas do Antigo Testamento. Ele recebe a ordem de pregar o arrependimento para a antiga cidade de Nínive. Inicialmente, foge para bem longe do alvo pretendido, mas é trazido de volta de forma sobrenatural através de um grande peixe preparado pelo SENHOR.

Depois da experiência nada agradável de usar o estômago do peixe como um retiro espiritual, Jonas vai anunciar a mensagem de arrependimento naquela cidade.

E, para seu espanto, a mensagem que ele leva é recebida pelo povo de Nínive com um movimento de arrependimento e renovação espiritual. O povo e seus líderes decidem abandonar seus maus caminhos e se voltar para o SENHOR.

Por ter o povo se arrependido, DEUS suprime o juízo. Jonas, porém, irritou-se tremendamente porque o SENHOR resolvera perdoar os habitantes daquela cidade. Ele não queria que DEUS poupasse esses inimigos do seus país.

Jonas ficou extremamente desgostoso com isso e ficou todo ressentido e pede a morte. O ressentimento foi tão grande que Jonas não consegue enxergar mais nada. Só a morte. Já que seus inimigos são poupados por DEUS, ele pede a morte para si.

É bom repetir aqui uma frase muito antiga. SÓ O AMOR CONSTRÓI. Você consegue entender, agora, porque há tantos casos de feminicídio em nosso país? Tudo começa com um pequeno ressentimento, que vai crescendo até chegar ao assassinato. É um fogo que consome. E destrói…

Olhe bem para dentro de si mesmo. Você tem facilidade para perdoar? Esposos e esposas? Pais e filhos? Irmãos? Familiares? Vizinhos? Colegas de trabalho? Apagar esse fogo destruidor??

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

O NOME DELA É ESPERANÇA

O NOME DELA É ESPERANÇA

Autor: Ezequias Costa

“Jesus ainda falava com a mulher, e chegou um empregado da casa do principal da sinagoga dizendo: ‘A tua filha já está morta; não incomodes mais o Mestre’. Jesus, porém, ouvindo o empregado, disse a Jairo: ‘Não tenha medo. Apenas creia’” – Lucas 8. 49-50

Encontramos um pai em desespero. Sua filha de apenas 12 anos está bastante enferma, à morte. O pai sai de sua casa e procura o Senhor Jesus, que acabara de retornar de uma viagem à terra dos gadarenos.

Lá o Senhor Jesus liberta um homem possesso de muitos demônios. Ao descer do barco, Jesus tem um encontro com esse pai desesperado. O homem prostra-se aos pés do Mestre e lhe roga que venha a sua casa, porque sua filha única está muito enferma.

O Senhor põe-se a caminho em meio a uma multidão, que segue junto em direção à casa de Jairo. Todavia, uma mulher que sofria de hemorragia havia doze anos, busca tocar no manto de Jesus e é imediatamente curada.

A caminhada é interrompida para Jesus atender aquela mulher. O Senhor ainda  conversa com a mulher e, sabendo de sua cura, abençoa-a e despede-a para que Ele retorne à caminhada.

Mas, nova interrupção acontece. Desta vez, um empregado da casa de Jairo chega para dizer que a menina acaba de falecer e que não é necessário incomodar mais o Mestre.

Jesus, agora, encoraja o pai da menina, dizendo para ele não desanimar, mas continuar crendo. E a caminhada continua. Quando chegam à residência de Jairo, uma multidão está presente, chorando e panteando a morte da menina.

Mas, o autor da vida está presente e, tomando-a pela mão, chama dizendo: “Levanta-te…” e a menina levanta-se.  E a entrega a seus pais.

O texto de Lucas não cita o nome da Menina, mas podemos dar-lhe o nome de ESPERANÇA. Se você é um pai ou uma mãe desesperado(a), que tem filhos caminhando para as drogas, com más companhias; filhos ou filhas que foram criados no Evangelho, mas se afastaram totalmente e se encontram envolvidos na prostituição ou no homossexualismo, NÃO DESISTA.

Faça como esse homem chamado Jairo:  Busque encontrar o Senhor Jesus e leve-o para sua casa. A caminhada poderá ser difícil, tumultuada, cheia de dificuldades, mas a Palavra de Jesus continuará ecoando em seus ouvidos: “Não tenha medo. Apenas creia”.

“Feliz aquele que tem o DEUS de Jacó por seu auxílio e cuja ESPERANÇA está posta no Senhor seu DEUS”.  – Salmo 146. 5

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

E O POVO ESTAVA OLHANDO…

E O POVO ESTAVA OLHANDO…

Autor: Ezequias Costa

“E uma grande multidão estava presente e a tudo observava. E também os líderes zombavam de Jesus, dizendo:  Aos outros salvou, salva-se a si mesmo, se é o Cristo, o escolhido de DEUS”. – Lucas 23.35

E uma das provas mais seguras da depravação do ser humano é o homem ou a mulher sentir prazer na violência, no sangue derramado e na morte…

Era o que acontecia nas arenas romanas e gregas na Antiguidade, onde os espectadores sentiam prazer em ver os lutadores lutarem até morrerem. Foi isso que também aconteceu com os espectadores que passavam e olhavam vendo o Senhor Jesus morrer de maneira horrível.  Isso também aconteceu quando cristãos eram jogados às feras no Circo Máximo, em Roma.

Vemos essa situação repetida em nossa Sociedade moderna, onde milhões de adultos e crianças sentem prazer e divertem-se no vídeo, no cinema, em revistas e em outros meios de entretenimento olhando a morte, a violência, o sangue derramado e o sofrimento humano, quando homens e mulheres matam-se uns aos outros.

Escrevendo aos crentes que viviam no Império Romano, e que assistiam a todos esses episódios, o apóstolo Paulo nos adverte para um tipo ímpio de atitude: aquela que aplaude o erro e o mal cometido por seu semelhante: “São insensatos, desleais, sem amor e sem respeito à família, sem qualquer misericórdia para com o próximo. Não somente os continuam fazendo, mas ainda aprovam e defendem aqueles que também assim procedem”. – (Romanos 1.31-32).

O Senhor Jesus morreu para mudar essa situação trazendo o amor e a compaixão. Ele deseja que vejamos essa atitude com outros olhos, ver os efeitos terríveis provocados pelo pecado, e que possamos ouvir os gemidos da humanidade sofredora.

Pesa sobre pais e mães a responsabilidade e o dever de se protegerem, e também às suas famílias, das investidas desses meios maléficos de entretenimento, quer seja no lar ou fora dele, que leva o ser humano à insensibilidade frente a dor e a tragédia humanas.

“Se alguém fizer tropeçar um destes pequeninos, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar no mar profundo”. – Mateus 18. 6

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

PROVAÇÃO

PROVAÇÃO

Autor: Ezequias Costa

“Amados, não estranhem a PROVA DE FOGO que vem sobre vocês, com o objetivo de provar a fé de vocês. Não entendam isso como se coisa estranha estivesse acontecendo para vocês”. – 1 Pedro 4.12

Segundo os mais renomados estudiosos de Bíblia, o apóstolo Pedro, assim como João no Apocalipse e vários outros autores da época, todos usaram um nome enigmático, conhecido entre seus leitores, para identificar a cidade de Roma, centro político e militar do mundo naquele momento histórico.

A perseguição ideológica era absolutamente arbitrária, autoritária, inescrupulosa e violenta. Ao menor sinal de crítica ou rebelião contra a figura divinizada do Imperador romano, ou em relação ao sistema vigente, os acusados eram sumariamente presos, torturados e, muitas vezes, crucificados com requintes de crueldade.

Os autores do Novo Testamento salientam o fato de que o crente em Jesus, fiel, experimenta tribulações e aflições neste mundo dominado pelas forças do Mal. Aqueles que se dedicam a Jesus Cristo com uma fé firme e leal, que andam segundo o Espirito e que amam a verdade do Evangelho, experimentarão problemas e tristezas.

Na realidade, sofrer por amor à justiça é evidência de que nossa devoção a Cristo é genuína. Assim o apóstolo Paulo explica: “Estou absolutamente convencido de que os nossos sofrimentos do presente não podem ser comparados com a Glória que em nós será revelada”. (Romanos 8.18).

Por essa razão, problemas na vida do crente podem ser um sinal de que ele está agradando a DEUS e sendo-LHE fiel. As aflições frequentemente acompanham o crente na sua luta espiritual contra o pecado, o mundo ímpio e o Inimigo de nossas almas.

Através de severas provas, o Senhor permite que possamos compartilhar do Seu sofrimento e forjar em nós a excelência do caráter que ELE deseja. “Bendito seja o DEUS e PAI de nosso Senhor Jesus Cristo, o PAI das misericórdias e o DEUS de toda consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por DEUS”. (2 Coríntios 1 3 e 4).

Quando sofremos e permanecemos fiéis a Cristo, somos chamados “bem-aventurados porque sobre nós repousa o Espírito da Glória de DEUS”. (1 Pedro 4.14.) Aqueles que sofrem por causa da lealdade a Cristo são bem-aventurados porque o Espírito Santo estará com eles de modo especial. Suas vidas estarão cheias da presença do Espírito Santo para neles operar, abençoá-los, ajudá-los e proporcionar-lhes um antegozo da glória dos céus.

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

DEUS SE MOVE

DEUS SE MOVE

Autor: Ezequias Costa

“Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos diante da face do nosso DEUS, para lhe pedirmos caminho direito para nós, para nossos filhos e para todo nosso patrimônio. Nós, pois, jejuamos e pedimos isso ao nosso DEUS, e ELE moveu-se pelas nossas orações”. – Esdras 8.21 e 23

O livro de Esdras  é um dos livros históricos do povo de Israel.  Foi escrito entre os anos 450 A.C. e 420 A.C. Encontramos neste livro a demonstração da providência de DEUS na restauração do remanescente judaico, que voltou do exílio em Babilônia.

DEUS moveu os corações de três diferentes reis persas, Ciro, Dario e Xerxes para ajudarem o povo de DEUS a regressar à pátria, a repovoar Jerusalém e reedificar o templo.

O Senhor levantou líderes espirituais e capazes para conduzir os que voltavam, a um avivamento espiritual no culto a DEUS, na dedicação à Palavra divina e no arrependimento por causa da infidelidade do povo a DEUS.

Esdras vai liderar um grupo de aproximadamente 17.000 pessoas na viagem de volta à pátria, por cerca de 1.500 quilômetros, desde a Pérsia até Jerusalém, viagem que deve durar aproximadamente 4 meses. Famílias inteiras, com seus filhos pequenos, anciãos, gado e tudo o mais que conseguiram juntar no exílio.

Antes da partida e sabendo do grande risco que correriam viajando por tão grande distância à pé, Esdras reúne o povo para um tempo de jejum e oração. Esdras esclarece que o motivo da convocação era para “LHE pedirmos caminho direito para nós, para nossos filhos e para nosso patrimônio”. – Esdras 8.21

Aprendemos, aqui, que o Senhor olha com benevolência para aqueles que, com humildade e sinceridade, buscam a Sua Face sobre determinado assunto. E o Senhor atende o pedido de Esdras. Dessa mesma forma, DEUS honrará todos aqueles que, com coração sincero, O buscam com jejuns e oração.

Devemos sempre orar a DEUS rogando seu cuidado e proteção, ao iniciarmos uma viagem. Não se deve ter como inquestionável a ajuda de DEUS, uma vez que Sua direção e proteção são concedidas a nós mediante nossos pedidos em oração. E, ao chegarmos ao nosso destino, nunca esquecer de Lhe dar graças.

“E, os transportados que vieram do cativeiro ofereceram holocaustos ao DEUS de Israel. – Esdras 8. 35

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

CAMINHANDO PARA O NADA

CAMINHANDO PARA O NADA

Autor: Ezequias Costa

“Naquele mesmo dia dois dos discípulos estavam caminhando em direção a um povoado chamado Emaús, que ficava a cerca de onze quilômetros de Jerusalém”. – Lucas 24. 13

Mas onde fica Emaús? Fui pesquisar no mapa daquela época. Nenhuma referência….Seria um povoado tão minúsculo assim? Foi engolido pelo crescimento de Jerusalém? É possível.

Então, do nosso ponto de vista, eles estavam caminhando para o nada e sumiram na poeira do tempo. Parece incrível. Conviveram com o Mestre, mas ainda tinham dúvidas sobre tudo que aconteceu. Mas, o pior é que as esperanças desapareceram, também sumiram na poeira do tempo.

Mas, o que ficou realmente foi o encontro com aquele estranho que os fez pensar sobre tudo o que falavam, pensar sobre sua própria vida, pensar sobre o futuro que se abria diante deles. Estavam voltando à velha vida?

Era um casal, Cleopas e sua mulher, Maria, conforme relatado pelo Evangelho de João, no capítulo 19. Então estavam voltando para casa, haviam desistido de continuar a obra do Mestre??

Emaús assume o sentido de um lugar comum, sem muito significado, um espaço para quem desiste de projetos e sonhos diante das dificuldades que vão sempre aparecer. Emaús é o lugar de fuga de quem perdeu a esperança…

Afinal, a ordem de Jesus para seus discípulos não era para voltarem para a Galiléia e esperar por Ele lá? E lá, de novo, ver o Cristo ressurreto voltar aos céus de onde descera?

O domingo da ressureição simboliza a era da nova criação, a época da Graça e o início do final dos tempos com a volta de Cristo em glória. Eles tinham a certeza de que Jesus era um profeta de DEUS, por suas palavras poderosas e milagres indiscutíveis. Esperavam que Ele fosse também o Messias e libertasse o povo da opressão romana. E, por isso, estavam muito decepcionados.

Estavam sem ânimo. Ânimo é o que nos dá esperança, disposição para a vida e é muito importante para a nossa existência. Sem ânimo vamos perder o prazer de viver, não vamos ter disposição para continuar a caminhada e para encarar os problemas de cabeça erguida… As conquistas, os sonhos e os projetos estarão arruinados.

Tudo indica que se Jesus não fosse convidado para entrar na casa deles, Ele teria continuado o Seu caminho. É sempre bom lembrar que o Senhor jamais força Sua entrada na vida de qualquer de nós. Ele se apresenta e espera um convite para entrar em nossa vida e mudar nosso caminho.

Pare e pense: para onde você está caminhando agora? Esse lugar existe? É seu futuro? E na companhia de quem você caminha? Você tem certeza ou está decepcionado ou decepcionada??

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

ESQUECIDO POR DEUS??

ESQUECIDO POR DEUS

Autor: Ezequias Costa

“Até quando TE esquecerás de mim, SENHOR? Para sempre?  Até quando esconderás de mim o TEU rosto?” – Salmo 13.1

Você já passou pela experiência de ficar esquecido, sem qualquer ajuda? Quem sabe quando era criança, você também poderia fazer um filme como aquele Esqueceram de mim?

Mas, ficar esquecido de DEUS? Como é possível? Isso vai nos causar uma sensação de desânimo, de frustração, de tristeza profunda. A impressão que nos vem é que DEUS se afastou de nós.

Esse foi o sentimento que invadiu o coração de Davi, o autor do Salmo 13. Releia as palavras iniciais do Salmo: “Até quando, SENHOR, TE esquecerás de mim para sempre? Até quando terei tristeza no meu coração cada dia”?

Triste, não é? Não teria você passado por situação semelhante? Durante enfermidades, problemas financeiros, aflições com a família, desemprego?? A sensação que temos é que DEUS nos abandonou…

Aí temos vontade de abandonar tudo, de desistir da vida de oração, parar de ler a Bíblia, de ir à Igreja. Enfim, desistir de ser crente…

Mas, espere um pouco, irmão e irmã. O Salmo ainda não terminou. Começa, sim, com um sentimento de revolta, mas Davi continua buscando a presença do DEUS Altíssimo em sua vida.

No verso 5, temos uma reviravolta, Davi diz: “Eu CONFIO no Teu amor constante, na Tua SALVAÇÃO  meu coração se alegrará…” Aleluia!! Aleluia!! Louvado seja o nosso DEUS!!

Amado, amada, a demora de nosso DEUS em responder a nossas orações ou trazer solução para nossos problemas e dificuldades não significa que ELE nos abandonou. ELE pode ter outros propósitos em nossa vida que nem percebemos.

Como diz Davi no verso 3 desse mesmo Salmo: “ILUMINA os meus olhos…” É isso, peça ao SENHOR que lhe dê a LUZ para que você veja as maravilhas que o nosso DEUS tem para aqueles que O amam.

Ou nas palavras do livro de Provérbios cap. 10, verso 25: “Quando vem as tempestades, o revoltado contra DEUS é levado com elas; mas O FIEL CONTNUA SEMPRE FIRME” Você pode crer assim?

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

COMPROMISSO

COMPROMISSO

Autor: Ezequias Costa

“Um certo homem chamado Ananias, com sua mulher Safira, vendeu uma propriedade, e reteve parte do dinheiro da venda para si, tendo conhecimento disso também sua esposa. Ele levou a parte restante e a depositou aos pés dos apóstolos”.  – Atos 5.1e2

Esta é a história do casal Ananias e Safira. Eles foram o exemplo da falta de sinceridade no serviço cristão ocorrido nos primórdios da igreja de Jesus Cristo.

Este fato aparece depois de dois relatos que estão diretamente ligados a ele. Diz o autor que a comunidade naquela igreja nascente tinha uma só alma e um só coração, isto é, ninguém considerava exclusivamente sua as coisas que tinham, tudo lhes era comum.

Outro relato, logo em seguida, nos apresenta Barnabé tendo vendido um terreno, entregando aos apóstolos todo o dinheiro obtido com a venda.

Os textos de Atos 4.36 e 37 e Atos 5.1 e 4 deixam bem claro que as ofertas e donativos eram atos voluntários, segundo a generosidade de cada pessoa e que os apóstolos nada haviam pedido aos crentes. Foi o Espírito Santo que moveu cada pessoa a contribuir conforme a alegria do coração.

Ananias e Safira não pecaram por terem ficado com parte do dinheiro, mas por suporem que é possível ao ser humano pensar ou realizar qualquer coisa fora do pleno conhecimento do Senhor.

A morte de Ananias e Safira, consequência trágica de seu pecado, foi necessária especialmente quando a igreja de Jesus Cristo começava a dar seus primeiros passos. Era fundamental que todos soubessem que o Espírito Santo é a própria pessoa do Senhor, habitando o corpo dos crentes, e não um tipo de energia qualquer que pode ser enganada…

Além disso, a igreja de Jesus Cristo não é uma empresa comercial, tampouco um negócio onde a hipocrisia, a fraude e a corrupção possam ser aceitas.

Depois do fim trágico e vergonhoso de Ananias e Safira nenhuma pessoa filiou-se à comunidade cristã daqueles dias sem avaliar a sinceridade e a responsabilidade de tal compromisso com DEUS.

“E grande temor se apoderou de toda a igreja e de todos que ouviram falar sobre esses acontecimentos”.  – Atos 5.11

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

SOBRE O ARREBATAMENTO (PARTE 2)

SOBRE O ARREBATAMENTO (PARTE 2)

Autores: Cláudio Costa

                  Ezequias Costa

“Eis que vem com as nuvens, e todo olho O verá, até os mesmos que O traspassaram;”…  – Apocalipse 1.7

“Porque assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra no ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem”. – Mateus 24.27

Durante esse extraordinário evento da volta do Senhor Jesus em Glória, que significa “todo olho O verá”? Será uma “live stream” pelo Facebook? Ou uma transmissão ao vivo em rede de TV Mundial?

Não há como saber qual tecnologia será usada, mas uma coisa é certa: Vamos nos preparar para esse momento de Glória. Também gosto dessa ideia de um DEUS que voltará triunfante sem necessidade de se esconder…Pelo contrário, todo O verão.

Como um relâmpago será a vinda, a volta. Mas, não sabemos quanto tempo durará a viagem de subida, de ida de todos aqueles que ELE vem buscar…Mas, isso já não importará porque estaremos acompanhados por ELE, e estaremos entrando numa atmosfera a-temporal, isto é o tempo já não existirá.

E a chegada lá como será? Haverá uma placa tão comum aqui na Terra em vários lugares: RELAXE, VOCÊ ESTÁ NA NOVA JERUSALÉM? Olhar em volta, aquelas ruas com calçamento de ouro, aquele rio (o mar já não existe), aquelas muitas moradas preparadas…. que  vista!!!

Momento de receber os galardões. Isto é como fazer metas na vida ou seja: Queremos galardões preparados para os vencedores?? Então precisamos alinhar nosso viver de hoje com os propósitos que DEUS tem para nossa vida.

Estão abertas as BODAS DO CORDEIRO. Para além do Cardápio que será oferecido, o mais importante é a Festa que há de ser como DEUS gosta de festejar com os Seus. (Êxodo 24.11 “Porém, o Senhor não estendeu a Sua mão sobre os escolhidos dos filhos de Israel; mas viram a DEUS, e comeram, e beberam”. ) Você já tinha lido isto?

Lugar em que o choro e a tristeza já não existirão. Portanto não cabe lembrar daqueles que faltam. Vamos viver sem as limitações do corpo. Livres enfim…

Como diz um hino antigo do hinário das Igrejas Batistas:  “Que segurança sou de Jesus, e já desfruto o gozo a Luz…” Você conhece? Vamos cantar juntos??

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

SOBRE O ARREBATAMENTO

SOBRE O ARREBATAMENTO

Autor: Ezequias Costa

“Assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será na vinda do Filho do Homem…” Mateus 24.38 e 39.

Muita coisa se tem dito e escrito sobre o Arrebatamento da Igreja. Coisas como o Arrebatamento ANTES da Tribulação, (Pré Tribulacionismo), a volta do Senhor em oculto para levar Sua Igreja, carros sendo abandonados porque os motoristas foram arrebatados e até aviões e navios desgovernados porque seus pilotos foram arrebatados, causando desastres pavorosos…

Tempos atrás um filme causou pânico nas Igrejas, e entre os crentes, falando sobre esses fatos pseudo bíblicos. Trata-se do filme Deixados para Trás….Fala do arrebatamento repentino de pessoas salvas por Jesus…

Mas, o que o Senhor Jesus ensinou sobre este momento na história humana? O que dizem as Escrituras? Inicialmente, vamos entender esse momento. Jesus fala que Sua volta será visível, todas pessoas da Terra O verão chegar. “…(todos) verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu,  com poder e grande glória” Mateus 24.30.

Jesus fala que Ele ordenará aos Seus anjos, COM o som de uma trombeta bem alta, para reunir todos os SEUS escolhidos. (Mateus 24.31). Portanto a reunião dos Seus servos será visível e audível…

Mas QUANDO será? Jesus mesmo responde: “…porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis”. Mateus 24.44. Você está preparado ou preparada?

Chegamos agora à comparação que Jesus faz de sua volta com os dias de Noé. (Mateus 24.38 e 39). Todos estavam ocupados com o dia-a-dia normal de suas vidas. Comer, beber, casar, viver. Mas, quando veio o dilúvio foram atingidos de surpresa, como num tsunami. E foram todos levados… Todos, menos a família de Noé, que estavam seguros na Arca.

Então, quem foram os arrebatados?? Certeza que não foi a família de Noé, pois eles estavam  guardados na Arca. Isso me faz lembrar a oração do Senhor Jesus, em João 17.15: “Não peço que os tire do mundo, mas que os livre do Mal”.

Falando agora da destruição de Sodoma e Gomorra, mencionada pelo evangelista Lucas citando palavras de Jesus, Ló e suas duas filhas sendo guardados da total destruição dessas duas cidades no passado. “Mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre, consumindo a todos. Assim será no dia em que o Filho do Homem se há de manifestar”.  Lucas  17.29 e 30. Então, quem foi salvo e quem foi “consumido” pelo fogo que desceu do céu? Ló foi arrebatado ou viveu para testemunhar o fim daquelas cidades?

Confira estes textos em sua Bíblia e depois me responda: Você concorda?? Ou não?

Pr. Ezequias Costa

Email: pr.ezequias@terra.com.br

Site: http://pastorezequias.com

%d blogueiros gostam disto: